Review – The King of Fighters

Maluco, estava cá eu, deprimido por ser final de domingão, final de semana acabando e o fantasma da segunda-feira me assolando, eu mal humorado e doido pra falar mal de alguma coisa. Eis que penso “porque não um filminho?”. Então resolvi assistir a bomba-mor do ano, o filme do The King of Fighters.
Sério. Fui assistir sem nenhum preconceito, esqueci que era um filme do King of Fighters, e, especialmente, uma adaptação de game. Falei pra mim mesmo que ia encarar como se fosse um daqueles forçadassos filmes de porradaria da década de 80 / começo dos 90. E aí, pensando dessa maneira o filme é tragável?! É obóvio que não.
Eu fiquei tão revoltado com esse filme que nem vou falar muita coisa. Só que transformaram uma idéia simples o suficiente de uma porra de torneio de artes marciais em uma merda (e mal feita por sinal) de – pasmem – dimensões paralelas. Isso mesmo. Você leu corretamente. Então, ao invés de falar mais, vou me resumir a mostrar algumas imagens:
É tão ruim quanto parece? Não, caro amigo, é PIOR.
E, porra, pegar a tálbua da Maggie Q pra interpretar a boazuda Mai Shiranui chega a ser uma baita sacanagem!
   
Faltou – um pouco – de sustança!
O filme faz jus ao título que está sendo chamado na internet, KoF – King of FAIL.
Nota 2. Vai assistir o filme pornô do cumpádi Uóxiton que você ganha mais!