Review – 30 Dias de Noite 2: Dias Sombrios

Falaí putada! Já que faz tempo que não escrevo nada, vamos começar bem! Assisti esses dias essa magnífica obra-prima do cinema moderno, e vim contar minha experiência para você, ilustre leitor do CnC!
Então, qual o pior filme que você já viu? Na vida inteira? Pergunta difícil né? Ainda mais com tanta bomba por aí! Eu defini o meu fundo de escala, e coincidentemente para este review, trata-se de um filme de vampiro! (e pasme, caro leitor, não estou falando de nenhum filme da Saga do Prepúcio) O pior filme que eu já vi foi um tal de Drácula 3000 de 2004. Usando uma capa maneira (o que me chamou a atenção foi a semelhança com a capa de Darkseed, de H.R. Grieger, confira abaixo) – e holográfica – acabei alugando esta bomba. Sério, não me perguntem qual era a história porque sinceramente não lembro, fiz questão de formatar do HD. Lessons learned, nunca confie em uma capa maneira de filme, sempre DESCONFIE.
Não, este não é o seu tio fantasiado para o Halloween. Este é o Drácula no filme. É sério.
Mas porque estou falando tudo isso? O Review é de 30 Dias de Noite, não do Drácula do Espaço! Eu sei, eu sei… mas ainda não percebeu a sutileza? Ok, eu explico. 30 Dias de Noite: Dias Sombrios é tão ruim quanto Drácula 3000? Oboviamente não. Mas passa perigooooosamente perto.
Sério. A história ainda estou esforçosamente tentando apagar da memória como fiz com o supracitado filme do Drácula, então vou contar o que lembro aqui. A mulherzinha que sobreviveu do outro filme (agora interpretada por outra atriz porque a original não quis voltar pra essa bosta) agora viaja de cidade em cidade dando palestras sobre como sobreviveu ao “incidente” no Alasca. Por incidente, leia-se, a vampirada veio e passou a ripa na galera nos 30 dias de noite do filme.
Daí, não lembro porque, essa tia se envolve com uns caçadores de vampiros que são mais – muito mais – amadores do que ela, apesar de pagarem de fodões, para matar uma dita rainha dos vampiros.
Pronto. Fim. É só isso. Se ainda fosse bem executado, daria uma boa sessão da tarde. Mas nem isso. O que se vê é uma seqüência de péssimas interpretações, defeitos especiais duvidosos e história sem nexo nenhum. A própria rainha dos vampiros morre mais fácil que calango debaixo do cortador de grama no final das contas. E tudo acontece sem o mínimo propósito.
Apesar do fã mais xiita fazer mimimimi, gostei muito do primeiro filme. Tudo bem, tem seus problemas, não é uma adaptação totalmente fiel às HQs e mimimimi, mas é um filme extremamente competente no que faz e mantém uma atmosfera de terror convincente e bacana. Agora o 2 também mantém o clima de terror, mas por ser terrivelmente ruim.  Sério, fiquei com vontade de ler a HQ só pra ver se é igualmente ruim, ou se cagaram no pau na adaptação mesmo (o que é mais provável).
Capa da HQ original.
Nem a participação da cuti-cuti Diora Baird salva esse filme da desgraça completa. Nem ela foi aproveitada no filme, poderiam ao menos mostram um pouco de seus… hmmm… atributos dramáticos…
Enfim, uma copiosa perda de tempo.
Nota 0,75*. (Nota 5 para a Diora no filme, já que ela fica o filme inteiro vestida de Joãozinho)
*Eu ia deduzir 1 ponto da nota pelo subtítulo no cartaz, mas a nota já estava baixa o suficiente.