Review – Kinect

Hoje o CnC conta com uma participação muito especial. Meu grande amigo Zéverton, também feliz portador de um Xbox 360 (e diferente desse pobre que vos fala ele teve sorte – e grana – pra comprar um Kinect), então ele escreveu este especialíssimo review excrusivamente pra você, leitor do CnC. Confiram comigo no replay!

Dae Saguizada!!! Advinha quem é!?!? Sou eu abestado, você quer saber o que é o Kinect? Vota em mim que eu te conto!!! Não, não precisa, na verdade essa é minha participação especial no Cocô na Cuia pra mostrar pra vocês o que é a última tecnologia em videojogos casuais!

Pra quem tava nos últimos meses passando férias em marte, escondido numa caverna no Afeganistão ou escondido em baixo da cama por medo das balas perdidas no Rio de Janeiro e, dessa forma não sabe o que é o Kinect, vamos a uma pequena explicação:

No final de 2006 a Nintendo lançava no mercado o famigerado Wii, o primeiro console a ter um joystick com sensor de movimento, onde o jogador poderia controlar seus jogos com os movimentos naturais… bem, a história não é exatamente como a Nintendo prometeu na E3 de 2005, pq o controle lia uma quantidade limitada de movimentos pré configurados, ou seja, dar socos como um boxeador ou balançá-lo feito deficiente mental daria na mesma, enfim, depois de quase 4 anos depois a Nintendo lançou o Motion Plus que realmente fazia o que foi prometido em 2005.

“Pq diabos você ta falando do Wii?!?! Não é sobre o Xboco?” – Sim sim, pequeno gafanhoto, mas temos que entender um pouco do cenário videogamístico antes… então, nesse interim, a Sony lançou o PSEye em Outubro de 2007, que basicamente é um camera CMOS com 4 microfones, lançaram com um certo frisson, porém não tiveram muitos jogos lançados e, nenhum que valha a pena ser citado, o Xbox 360 também teve um fail destes chamado Live Vision, que era a mesma porcaria do PSEye e sem jogos ainda, situação pior até que o PSEye.

Dessa forma, os jogos de sensores de movimento se limitavam as boberinhas infantis do Wii, algumas boas idéias, outras mal executadas e com a Sony eram apenas exemplos de uma tecnologia MUITO mal usada. Então na E3 que a Nintendo anunciou o Wii Motion Plus, a Microsoft anunciou algo extremamente a frente do seu tempo, o então chamado “Projeto Natal” parecia saído de um filme baseado no Asimov, uma camera que lia movimentos 3D em tempo real, a primeira reação da mídia foi a descrença, várias críticas com os fracassos de 3RL do xbox e, a Sony, saindo pela tangente, anunciou um sitema de movimento que seria como a união do então Projeto Natal e o Wii Motion, junto com a camera PSEye teriam um controle de reconhecimento de movimentos.

Bem, o tempo foi passando, as vendas do Wii diminuíram, as vendas do PS3 e Xbox 360 se mantiveram em uma proporção normal e mais e mais se falava do Projeto Natal que recebeu o nome oficial de Kinect e o PS3 também teve seu nome oficial: PS Move.

Nesse ano o PS Move foi lançado antes do Kinect, algo que a Sony deve ter aprendido por ter segurado tanto tempo pra lançar o PS3, mas enfim, tive a oportunidade de testar um em Setembro desse ano, excetuando o fato do design desastroso e cômico, com uma bola colorida que muda de cor, que na verdade, nada mais é do que uma maneira de facilitar o reconhecimento da câmera CMOS do PSEYE, o controle faz aquilo que se propôs, é muito mais sensível e preciso do que o Wii.


E agora em Novembro, a Micro$oft lançou o Kinect, que é um aparelho composto basicamente de 1 câmera CMOS, 1 sensor emissor de raios infravermelhos e 1 câmera infravermelho para ler o 3D, 4 microfones e motores de passo para movimentá-lo horizontal e verticalmente. Diferente do seu primo homoerótico (o PS Move), não há qualquer controle, uma vez que o conjunto de câmera 3D e câmera CMOS faz uma leitura precisa, não há necessidade.

Mas aí? É tudo aquilo que a Micro$osft prometeu? Sim é! Porém (sempre tem um porém), hoje, início de Dezembro de 2010, não há 1, eu disse, NÃO HÁ 1 jogo que valha a pena!!! São todos jogos infantis como no Wii e PS Move, ainda assim, para nerds loucos por tecnologia é muito interessante e bastante promissor para os próximos anos.

O que é ruim? Bem, se vc não tem uma sala grande o suficiente, so sorry! Para jogar com uma única pessoa vc precisará de 2m entre o Kinect e o jogador, para 2, pelo menos 3,5m. Outra coisa para nós tupiniquins é que os comandos de voz estão disponíveis apenas em Inglês, mas nada demais também, por enquanto são meia dúzia de comandos ditos XBOX (équisboquis) e algum outro comando, a promessa da M$ é que logo tenhamos ele completamente em português e com muito mais comandos.

Por fim, não é um produto absurdamente caro, lá fora, são 169,00 doletas, aqui 599,00 Reales, se pensarmos nos absurdos dos nossos impostos não é nada surpreendente, lembrando que quando o Wii foi lançado no Brasil, custava 149,00 Doletas lá fora e era vendido a 2 mil reais aqui!!! Mas enfim, vale o investimento?! Se você é uma putinha tecnológica como eu, com certeza! Se você é um gamer hardcore, que vem jogando desde o Atari, hmmm… não! Não vale mesmo! Quem sabe dentro de 6 meses a 1 ano valha, mas hoje você estará limitado as joguinhos casuais onde o legal é a vergonha alheia de ver seus amigos jogarem!

Apenas um adendo, do ponto de vista tecnológico, o Kinect é muito interessante e vai muito mais longe que o Wii Motion Plus ou o PS Dildo, digo, PS Move, do ponto de vista prático, é a mesma coisa, um periférico para jogos casuais, se isso será uma tendência, se realmente funcionará (já funciona), ou se será mais um virtual gameboy, que morrerá logo, só o tempo dirá, o que sei é que já vendeu como água e com certeza os fazedores de jogos irão se coçar para correr atrás do filão.

Jogos que testei até agora com o Kinect: Kinect Adventures (Nota Wii com gráficos descentes, mas infantil),



Kinectanimals (Nota PS Move, mas que vai agradar a criançada) *E TAMBEM O JOGO MAIS GAY DA FACE DA TERRA, 







Fitness your shape involved (Nota Kinect, promissor, da Ubisoft) esse sim, parece ser muito inreressante,



Dance Central (Nota Kinect, sem sombra o melhor até agora),



e Fighters Uncaged (Nota Kinect, também da Ubisoft, requer muito espaço para reconhecer bem os golpes, mas é promissor).



É isso criançada, tem muito ainda pra falar deste tipo de controle, mas eu perderia um dia inteiro, lembrando que câmera CMOS já tinha no PS2, porém algo com leitura realmente 3D e não image mapping, o Kinect é o primeiro no mercado e, mais um round começa para o console wars da 7a geração! Quem ganhará… nós, gamers, com certeza!!!

Everton é blogueiro do Cansei de Ser Cowboy e, nas horas vagas, gosta de jogar Xbox360 e se vestir de Coringa, o Jóker, o Palhaço!




O que eu acho? Bom, eu como hardcore gamer tenho lá meu pé atrás quanto a esses controles cheios de firulagens e movimentos, preferindo a precisão de um controle Old School. Mas confesso que fiquei curioso pra conferir alguns jogos, tipo o Fighter’s Uncaged. Mesmo assim, é muito cedo para dizer se eu vou ou não comprar essa trozoba. Se bem que minha mente pervertida não deixa de pensar em algumas aplicações “interessantes” para o novo periférico…







Well…


… tá, pensando bem, é melhor não!

Confiram comigo agora uma vídeo-review do Kinect muuuuuito interessante:

E quem disse que Kinect não serve para “jogos de verdade” confira como um nerds sem vida jovem inteligente desenvolveu uma técnica para jogar Super Mario Bros:

É isso aí saguizada!!! Se algum dos colaboradores do CnC mandar um review do PS Move eu posto aqui também, afinal estamos numa democracia! E não fiquem chateados! Olhem a pá de acessórios iradassos que vão sair para o Move muito em breve:
(tá, esse último é do Wii, mas foda-se!)
Viram só? Radical!!!

  • Putz… me lembro quandoem 2006 Sony E Microsoft disseram que nunca investiriam numa forma "tão infantil" de se fazer videogamesE OLHA SÓ HOJE, HEHEHEHEH!! o mundo dá voltas, hehe!!abração Rodrigo!!!

  • Huauhahuahuauha! Pois é! E no final das contas, tudo o que vale são as verdinhas entrando! Viram que a galera curtiu fazer macaquice na frente do Wii, aí já viu… hehehehe!abraço!