Review – Show Blaze Bayley

Cara, Blaze Bayley é o cara mais injustiçado e azarado de todo o mundo do metal. Saiu de uma banda pequena chamada Wolfsbane para tocar no Iron Maiden. “T’á, mas daonde que isso é ser injustiçado e azarado?” Ele cantou no Iron Maiden, meu caro, a banda com os fãs mais chatos e xiitas de todos os tempos. Blaze sempre foi escrachado e marginalizado pelos fãs do Maiden, tanto que durou apenas por dois discos. Discos estes que são marginalizados e esnobados pelos fãs, apesar de serem ambos, eu disse AMBOS excelentes com grandes musicas (Man on the Edge, Sign of the Cross, Lord of the Flies, Futureal, The Angel & The Gambler, The Clansman, fora outras).

  
Ontem / Hoje
Depois da saída do Maiden, Blaze seguiu uma carreira solo, e já possui uns cinco ou seis álbuns de estúdio, mais os shows ao vivo. Cara, e que carreira solo. Pena que Blaze ficou meio marginalizado, pois ele é um baita vocalista, e tem umas músicas da carreira solo dele que valem ouro. Por exemplo ‘The Brave’ (do seu album de estréia ‘Silicon Messiah’ em 2000). Diga uma, apenas UMA música do Maiden após o retorno do Bruce Dickinson que tenha a mesma energia e um refrão tão pegajoso? É o Blaze sendo mais Iron Maiden que o próprio Iron Maiden, apesar que o fã mais xiita nunca irá admitir.

Então para honrar e fazer justiça ao já injustiçado Blaze, este blog humildemente cede este espaço para um pequeno review do show que ele fez aqui em Curita no último dia 26, e eu tive a honra de estar presente.
A banda de abertura, a curitibana FireShadow, serviu pra esquentar. Além de músicas próprias (ótimas por sinal, apesar de não gostar muito do estilo melódico ‘André Matos’ do vocalista), ainda mandaram covers de Children of the Sea (Black Sabbath com o Dio) e Electric Eye (Judas Priest).
Para ajudar os caras, segue um jabá gratuito no CnC, confiram o site deles: www.fireshadowonline.com
Quando Blaze subiu ao palco, aí sim, foi quebradeira pura. Ficava evidente que os anos não haviam sido muito gentis com o Messiah, ele ostentava uma voluptuosa pança, e uma banda muito provavelmente ocultando um princípio de careca. As costeletas, marca registrada do vocalista, também não escondiam os sinais de idade, elas estão cada vez mais brancas. O mesmo não pode-se dizer da voz de Blaze, ainda poderosa como sempre. 

 

Eu costumo dizer que o vocalista pra mim é bom quando ele consegue se sobressair daquela voz meio de “pato” (QUÉ) e metalizada, que sai do microfone, e você efetivamente reconhecer que realmente é o cara daquele CD que você comprou (cof cof) cantando. E neste teste, Blaze passou com louvor.
Imagem
No show de duas horas, Blaze deu ênfase às músicas de seu último trabalho, o álbum Promise & Terror (2010), muito bom por sinal, e sempre agradecendo a platéia dizendo que sem os fãs esse álbum não teria sido possível. Intercalando com outros medalhoes de sua carreira solo, bem como algumas da sua estadia no Iron Maiden, foi som pesado do comeco ao fim. Destaque para Futureal (do Iron) intercalada com The Launch, do proprio Blaze e The Clansman (tambem do Iron) emendada com The Brave.
Imagem
Ei, te conheco de algum lugar…
Meu PWOOOOOOI!!! HUAUHAUHAUHUHAAUHUHA!!!
Pra encerrar, Blaze mandou a porradeira Man on the Edge do Iron, e acho que so nao teve um mosh geral porque estava extremamente quente la dentro do John Bull Music Hall. Apos o show, Blaze num gesto de humildade que ja virou praxe em seus shows, sentou na beira do palco conversando com os fas, distribuindo autografos e tirando fotos.
Das musicas do Iron so senti um pouco de falta de Lord of the Flies e The Sign of the Cross (que por sinal foi tocado em SP), mas, no meio de tanta quebradeira, ate nao fez tanta falta assim. De sua carreira solo, Blaze poderia ter mandado Born as a Stranger, Kill and Destroy e Ghost in the Machine, mas as musicas do album novo mais do que compensaram por elas.
Definitivamente, um show para ficar na memoria. E se titio Blazer vier novamente para Curita, estarei la com certeza!

  

Set-List:

01. Intro/Blackmailer

02. Smile Back At Death
03. Faceless
04. Waiting For My Life To Begin
05. City Of Bones
06. Voices From The Past
07. Surrounded By Sadness
08. The Trace Of Things That Have No Worlds
09. Letting Go Of The World
10. Comfortable In Darkness
11. Futureal
12. The Launch
13. Blood And Belief
14. The Clansman
15. The Brave
16. Watching The Nightsky
17. Madness And Sorrow
18. The Man Who Would Not Die
19. Robot
20. Samurai
21. Man On The Edge