Review – Gantz Part 1

Fala putada! Quem acompanha este ilustre blog desde sua criação (lá nos idos longínquos de julho de 2010) sabe que eu sou putinha de carteirinha de uma série de mangá / anime chamada Gantz. Desde que anunciaram um filme live-action (na verdade dois) então, nem se fala! Fiquei mais faceiro que guri de bombacha nova! E eis que o grande dia chegou! Esse final de semana descolei na importadora de um amigo meu (thanks Zéverton!) uma cópia do tão esperado filme!

E imagina o c* na mão que eu não tava. Assim, normalmente adaptações de qualquer gênero ficam bem aquém dos seus originais, ainda mais que estamos falando de um mangá tão fora da casinha quanto Gantz. Mas quer saber o resultado? Sinceramente, não podia ser melhor! Acho que quem não sabe adapatar roteiros prontos são os estadunidenses (salvo raríssimas exceções), nossos amigos porongos – thank God for that – fizeram um EXCELENTE trabalho com Gantz!

Mas vamos voltar para o princípio. Do que se trata a parada toda? Bão, resumo da ópera: pessoas que que no instante de suas mortes são misteriosamente transferidos para sala vazia com uma esfera negra no meio. Essas pessoas recebem “missões” dessa esfera negra, conhecida apenas como “Gantz”. Essas missões envolvem matar alienígenas disfarçados, mas sem nunca explicar qual o real propósito da matança gratuita. Gantz também fornece armas e equipamentos (os famosos trajes pretos) para os então “mortos-vivos”.
Ao matar alienígenas os participantes ganham pontos, e ao completar 100 pontos, podem  optar por *MINOR SPOILER* 1) ser libertado e ter a memória apagada; 2) ressucitar alguém da memória ou 3) ganhar uma arma mais poderosa (nota: no filme limaram esta opção) *FIM DO SPOILER*
A trama é focada em Kei Kurono, um piá de bosta punheteiro do segundo grau, e seu amigo de longa data Katou. Kurono reencontra Katou após anos em um ato de extremo altruísmo (e burrice) tentando ajudar um mendigo bêbado que caiu na linha do metrô. Mas os dois acabam sendo atropelados pelo metrô e abotoando o paletó de mad… ops, sendo transportados para a sala do Gantz. E aí que as grandes aventuras enfrentando aliens em ritmo de azaração total começa. Confira algumas cenas do comeco do anime:
Kurono socando uma bronha na aula.
Kurono e Katou na estacao de Metro.
Kurono e Katou moooooorreeeendo na linha do trem.
Cabecas vao rolar! (violencia muito explicita assim foi cortada do filme)
Kishimoto sendo transferida para a sala do Gantz. Confira no trailer abaixo como ficou o efeito em live action! Sensacional!

Caras, passei boa parte do filme admirado com a conversão, e me masturbando mentalmente imaginando como seria uma adaptação estadunidense do filme. Provavelmente colocariam uma introdução longa, numa pífia tentativa de desenvolver algum relacionamento prévio de personagem, aí lá pelos 2/3 de filme eles seriam transportados para a sala do Gantz e seria só uma mega-missãozona com muita explosão, sangue tiros, tudo muito corrido para caber tipo em 90 a 100 minutos de duração.
Mas não estamos falando de uma conversão estadunidense. Gantz foi desenvolvido exatamente da maneira que deveria ter sido. Uma breve introdução e… TCHARAM! Já estão às voltas com a esfera negra, o que dá tempo e fôlego para o filme desenvolver a parte que interessa – as missões – com toda a calma do mundo. E são três missões mostradas neste primeiro filme, culminando com a climática batalha contra as estátuas de Buda! Tudo isso em  2h10 de filme! Sério, quando começaram a anunciar Gantz live-action não botava fé que fossem chegar até a missão dos Budas!
Neji-Seijins (1a. missao)
 
Tanaka Seijin (2a. missao)
A missao do templo budista (no anime).
 
Grumpy / Rowdy Seijins (3a. missao)

As missões em si foram bastante fidedignas em relação ao mangá. Só deram uma limada legal na segunda missão, do Tanaka-Seijin, no filme é mostrado apenas um alienígena enquanto no mangá eram vários. Mas foi uma limada perfeitamente justificável para dar tempo da terceria missão (que por sinal foi bem simplificada, mas funciona muito bem no filme, sem ficar cansativa).
O Buda de 100 bracos no manga…

e no filme!
Nao falei que tinha azaracao total?
A escalação do elenco é outro show à parte (tudo bem que japa é tudo igual). Não sei daonde arrumaram uns moleques tão parecidos com os originais. Mas tá tudo lá. O Kurono punheteiro, o Katou bonzinho, a Kishimoto pau-de-enchente babando no Katou, o Nishii pau-no-c* exatamente igual ao dos quadrinhos, tanto na personalidade quanto na aparência… só não gostei muito da Tae Kojima, no mangá ela é mostrada como uma das gurias mais barangas da escola do Kurono e totalmente sem sal. No filme até escolheram uma bonitinha pra interpretá-la.
Kishimoto Kei
Kei Kurono
 Masaru Katou
Tae Kojima
Joichiro Nishi
Aquele “cast” que publiquei em posts anteriores acho que tinham algumas imprecisões, olha só (pelo menos o Suzuki-San tá bem diferente daquele visto no filme):
Se o Gantz 2 tiver o Ryu (Kaze Daizaemon no original) e o Izumi para mim ja esta de bom tamanho! Mas pelo que esta sendo mostrado no teaser (confira algumas cenas no trailer abaixo) o filme pelo jeito vai desenvolver melhor a historia dos vampiros engravatados (nao confundir com os vampiremos do prepucio!)
No mais, esta primeira parte de Gantz da mais do que conta do recado. Se os efeitos especiais nao sao aquele primor (nao va assistir esperando nenhum Avatar), eles ao menos dao conta do recado e nao decepcionam. E um exemplo de como adaptacoes como esta devem ser! Limpe sua mente de todo lixo americano que voce tem assistido ultimamente e va dar uma conferida em Gantz de cabeca aberta. Vale a pena ler o manga antes tambem  (o primeiro filme adapta os volumes 1 a 7 ou 8, eu acho). O meu maior medo e que a sequencia nao va honrar a franquia como o primeiro, ainda mais que a producao padece do mesmo mal de Kick-ass, e o segundo filme saira antes do termino do manga (se e que o manga esta para acabar). Enfim, esperemos.
Em tempo, uma coisa que limaram – e muito – foi a nudez e demais conteudo sexual no filme. O manga e uma putaria gratuita absurda, entao acho que e ate compreensivel deixar de lado. Nem a Kishimoto chega a pagar uns peitinhos. A cena abaixo e o maximo de nudez que voce vai ver. E serio.

Nota 8,9. Excelente entretenimento! E que venha o 2!