5 motivos pelos quais você, leitor de HQs, deveria ler mangás

Exatamente! Depois do meu incrível e popular texto de porque leitores de mangás deveriam ler HQs eu venho com a contra-parte de porque o contrário também é verdade. Existe uma grande e enorme leva de mangás em publicação – e já publicado por diversas editoras na terra do sol nascente (como se o sol não nascesse nos outros países).
VISH!!!!
Continue lendo e você entenderá porque como bom verme você deveria entender o que os vermes de lá acham que existe nesses desenhos em preto & branco que tanto os deixam com vontade de prosseguir jogando rios de dinheiro nas mãos das editoras.

1. Continuidade

Sabe o que é bom em ler um mangá do começo ao fim? Ele vai do começo ao fim. Não haverá daqui um mês outro autor/desenhista tentando explicar um novo arco e, mais importante, em 15 anos a editora não vai criar um evento extraordinário para que as histórias possam ser recontadas. Uma vez morto o personagem morre de vez.

Ok, o Goku ressucita o tempo inteiro…
Hoje, se você quiser ler e aprender tudo que há sobre um mangá famoso – digamos Dragon Ball – basta você adquirir os 42 volumes e lê-los do início ao fim. Tudo estará ali e somente o que é necessário. Não como Batman que mesmo após o reboot dos Novos 52 ainda assume que a sua origem é de fato baseado em Batman: Ano Um (por sinal, tem alguns erros de continuidade por isso também – ops!)

2. Semanal x Mensal

Publicações de mangás são em sua grande maioria semanais. Uma média de 15 páginas por semana o que nos dá incríveis 60 páginas por mês. É mais do que uma publicação mensal com 35 páginas mas o número é o menos importante.

60 > 35 
Sendo semanal, a sensação de fluidez da história e desenvolviment parece ser menos estranha pro leitor que embora possa acompanhar 50+ séries por semana consegue se manter ligado àquela narrativa. Muitas vezes eu tenho de voltar para as duas últimas edições de HQs para relembrar o que está acontecendo.

3. Pegadinha do Malandro

Era óbvio que esse seria mais um artigo com apenas 4 itens.

4. Migração de mídias

Um das grandes vantagens dos mangás é que eles raramente se mantém nessa mídia pra sempre. Diversas e diversas vezes mangás são adaptados para animes (sabe, desenho animado), filmes, série dramática (jdrama), livros, jogos, jogos “educativos” e até parque de diversões.
Não necessariamente a mídia tem controle criativo total do autor mas não raramente segue à risca ou uma grande influência das mãos do original. Às vezes até mesmo material inédito que pode ser considerado não-cânon então ninguém sofre não é mesmo?
Caça-níquel? Sim mas se você é um verme de respeito você sabe que não importa o que aconteça você sempre consome tudo que puder das suas vermices favoritas e o Japão sabe como tratar seus vermes. Ou você acha que restaurantes/cafés temáticos – inclusive com garçonetes de cosplay dos personagens – é um mero acaso?

5. Temática dia-a-dia

Essa é uma das mais complicadas de explicar. Não tem como negar que a temática nos HQs também é gigante e muito bem trabalhada. A grande diferença é que em sua grande maioria as HQs tem um dos três seguintes elementos: (1) mutantes (2) sobrenatural (3) superpoderes.
Mangás tem uma variedade um pouco maior que, obviamente inclui os três elementos acima mas também migram para uma área que eu gosto bastante e é bem aproveitada: dia-a-dia (tradução porca de slice of life). Sabe o que é isso? Histórias do dia-a-dia das pessoas no colégio, trabalho, participando de clubes de esporte (uma categoria por si só diga-se passagem) dentro outras corriqueirices.
Olha o -kun dando as caras aí!
Qual a grande vantagem? Leitura leve. Às vezes você pode não querer entrar muito fundo na dinâmica psicológica do Batman ou quem sabe todos os mistérios que envolvem uma série como Watchmen. Às vezes, você só quer relaxar. E para isso, nada melhor que o dia-a-dia das pessoas que conte uma história simples que não diga nada demais.

Eu admito: esse é meu gênero favorito se você agrupar junto mangás de esporte mais leves também.


Agora, tente, invente faça um 92 diferente e leia um mangá para ver se te agrada. Existem vários artistas no Japão que já publicaram dezenas de capítulos para que você perca algumas horas da sua (verme) vida.
  • Aylan

    O ruim dos mangás é o exagero em expressões emocionais onde eles põe traços simples para enfatizar uma expressão , como raiva por exemplo, me faz levar menos a sério a história quando eu vejo o protagonista com olhos gigantes, sem nariz e com os dentes serrilhados berrando "não me chame de baixinho!!!".

    • José

      depende do mangá certos autores não usam expressões emocionais, oi uso dessas expressões geralmente ocorrem em shounens ou mangás mais leves mas também existem SEINENS que são mangás mais sérios q são para um público mais maduro onde (geralmente) não ocorre o uso dessas expressões.