Review – Puella Magi Madoka Magica

Não é mistério pra ninguém aqui nessa joça que eu curto uns animes e mangás. O que talvez seja novidade (nem é) é que eu curto essas séries mais voltadas ao público feminino e o motivo disso é muito simples: {insira seu xingamento homofóbico aqui contra mim}. Na real, há muito tempo eu vinha procurando alguma série nova de anime pra ver e por sugestão da minha madrinha de casamento eu decidi dar uma chance para Puella Magi Madoka Magica (魔法少女まどか☆マギカ, Mahō Shōjo Madoka Magika).

Assim como você meu primeiro pensamento foi “Que porra! Anime de garotas mágicas e ainda por cima estrela no nome!” e obviamente como um bom escroto que sou desdenhei a série mas dei a change de 3 episódios. Ah vá- 25min cada um até minha vó veria (mentira).

E qual é a da parada? Ora meu caro, mais do que obviamente a história segue garotas. Elas são mágicas. Garotas Mágicas. Tchans!

Informações técnicas: Apenas 12 episódios; Transmitida entre Janeiro-Abril de 2011 pelo estúdio Shaft

A história se passa na cidade de Mitakihara e é uma versão plausível do futuro onde certos itens tecnológicos são aceitáveis. Como se fosse uma cena de novela de Manuel Carlos toda a trama fica em volta de uma personagem (não, não é Helena): Kaname Madoka (鹿目 まどか) – aliás, aqui cabe um aviso: sempre que você ver um nome em japonês escrito por mim eu estou usando a ordem japonesa de primeiro o sobrenome/nome de família e depois o nome da pessoa de fato. Obviamente que ia ser em volta dela né? Olha o nome da porra do anime!

Quase um sentai (mas deve ter hentai também)

Enfim, Madoka é uma estudante de colegial (safadééénhos) que percebe a existência de um animal que tá fugindo de uma garota muito quase-gótica, Akemi Homura (暁美 ほむら), que quer matá-lo. Como ela é boazinha ela defende o bichano.

Na real, ele é um bicho muito louco e foda chamado Kyubey (キュゥべえ) que dá jeito das meninotas virarem garotas mágicas (maho shoujo – 魔法少女). Ou melhor, o bicho te atende um desejo porque né, todo mundo encontra animais que atendem desejos. I KNOW, RIGHT? O custo de atender qualquer desejo? Virar uma maho shoujo e combater as bruxas (majo – 魔女) – no maior estilo inquisição espanhola! E de quebra elas ganham uma soul gem que faz o que elas tenham os ditos poderes.

rawr! dazora ser gato mágico

Bruxas? Soul Gem? Poisé, como todo bom anime com garotas mágicas haveria de ter ora pois bruxas pra elas combaterem. As bruxas por sinal trazem algo que eu comento depois que é a arte da série pra um nível surreal. E, como toda boa bruxa, elas tem uma aparência estranha e ataques criativos. Ao ganhar de uma bruxa elas liberam a chamada grief seed que é quase um Vanish Poder O2 pras soul gems das meninas para purificar a pedra já que cada vez que usam, mais ela fica corrompida.

Ao contrário do que possa parecer Madoka não assume a identidade de uma garota mágica logo de cara. Ela e sua amiga do peito irmã camarada Miki Sayaka (美樹 さやか) encontram uma outra garota mágica que está na ativa, Tomoe Mami (巴 マミ), e junto com ela se jogam na parede de cara em algumas investidas de Mami contra algumas das bruxas para aprenderem o que é ser uma garoténha magica. Tudo isso descreve como lutar, purificar sua pedra e claro, transformações.

Atualização de status: Matando bruxas S2

Mas vem cá… Até agora o que foi descrito é uma série comum de garotas mágicas que, diga-se de passagem, não teria me atraído de maneira alguma. Então que porra que fez eu continuar vendo e, pasmem, terminar os 12 episódios da série?

rawr! dazora ser gato DARK-SIDE

A série se diferencia muito do que eu esperava pelo fato de que ela é sombria. Em termos miúdos, ela é altamente bizarra no quesito que ser uma garota mágica não é só alegria e diversão e sair voando em cima de um bastão ou ter um namorado mascarado (epa, acho que isso é normal).

A verdade é que Puella Magi foge bastante de um padrão de anime de garotas mágicas por se meter mais no bedelho da interação das personagens e seus dramas pessoais e, incluir de uma maneira relativamente sutil a morte.

Sem entregar o ouro (inshalá!) pode-se dizer que a mesmice esperada numa série dessas é jogada no lixo – NO LIXO – nos primeiros 4 episódios da série mostrando que hoje o que vende mesmo é horrorshow. Não acho que seja feito de maneira gratuita ou desnecessária pro enredo mas talvez o elemento poderia ser mais dramático que horror na minha opinião.

E as notas?

Ah as notas. Eu gosto de dar notas absurdas como as mostradas aqui mas hoje serei mais conversador e dividirei as notas em apenas quatro categorias.

Animação – 8,0: Infelizmente a animação deixou um pouco a desejar por algumas falhas durante as transições mais rápidas das lutas quando o foco estava nas garotas que ainda eram mostradas como personagens típicas em animes. O que salva é que quando a animação precisa ser bem épica, ela de fato é.

Arte – 9,5: Não vou negar. A arte da série é muito bonita e bem elaborada. Todo o cenário da cidade e das interações não-lutas são suaves e bonitas de se admirar e durante as lutas é onde toda a arte surreal e prováveis experimentos da direção de arte aconteceram. Ponto por arriscarem e principalmente por entregarem algo memorável.

Música – 7,0: Sou conservador nesse quesito. Apesar da trilha ser muito boa e agradável eu percebi a existência dela várias vezes durante o episódio e eu não gosto disso. Eu gosto de música que se mescla com o restante de maneira que parece white noise.

Enredo – 8,5: Mais uma vez dá pra perceber como o roteirista arriscou e merece uma nota boa. O que faz ele perder pontos são os clichês de garotas em animes mesmo que em um caso ele seja bem justificado- aliás, muito bem justificado. As outras personagens caem em um esterótipo claro que em alguns momentos eu realmente me senti mal.

Vale a pena? Claro que vale seu otaku! Apesar que se você for otaku você já deve ter visto dada a data da série ser 2011 mas para os outros gordos de plantão aqui pode ser que eles curtam o fato de ser algo diferente do que vêem. (Mentira, a maioria quer ver filme do Michael Bay).

 

  • Gustavo

    Legal o Post , Vou dar uma conferida nesse anime ..
    Estava em duvida a respeito, mas vou dar uma chance para Puella Magi .

    Parabens, pelo Site muito Bom .

    • pvruthes

      Opa valeu Gustavo! Vale a pena conferir sim- como eu disse ali eu tinha um certo receio mas a história vale a pena. Te digo mais, eu não escrevi no post por receio de gerar expectativa não atendida mas existem alguns plot-twists e coisas pra fechar buraco do roteiro que me surpreenderam!

      Valeu pelo site 🙂 divulga aí porque o nome é polêmico tipo Datena (IBAGENS!) mas a gente é tudo gordo nerd inofensivo. Só rancoroso mesmo.

  • Peter

    kkkkkk mas o ponto principal do anime para o seu sucesso é justamente a maneira de como venderam o seu produto (o anime) e depois o produto sendo consumido (assistido). Nem tanto pela trama pesada, mas pelas surpresas escandalosa ao longo do anime. Ainda assim recomendo para quem gosta de surpresas, medos e emoções rsrs. É um anime inovador e interessante de se assistir, mas também não é um dos meus preferidos.