Review – Gordo indica 5 Games para iOS

Sabadão tá devagar? Seu programa de hoje melou e você não sabe o que fazer pra dar a volta por cima? infelizmente ler esse post não lhe ajudará em nada, talvez até piore sua situação, mas se o Sr. A Sra. dona de casa, estiver procurando por uma boa distração, um joguinho pra matar tempo ou inspiração pra dar uma bela de uma cagada, você veio ao lugar certo.

O Gordo no auge de sua falta do que fazer, selecionou 5 jogos para iPhone ou iPad, disponíveis na loja virtual da Apple no Brasil.

Bora lá, do pior para o melhor:

#5 – Marvel Vs Capcom 2

Por essa lista vc irá notar que esse gordo aqui vive de passado, pelo menos no quesito Games, mas fato é que poucos são os jogos modernos que realmente me atraem … mentira, a verdade é que eu não me arrisco a comprar um videogame pois sei que se já sou vadio por natureza com um console disponível fudeu!!!

Indo ao que interessa, Marvel Vs Capcom foi o auge dos jogos de luta dos arcades (aka Fli-pe-ra-ma) onde vc podia selecionar um grupo  “restrito” de 56 lutadores, metade de cada companhia e descer a porrada nos apelões dos seus amigos. Na época de seu lançamento o jogo foi o auge da revolução das engines de luta da Capcom onde era possível escolher três personagens distintos em cada time (o conceito inicial foi da SNK, mas td bem) que se revezavam ao gosto do jogador ou participavam de combos duplos ou triplos onde era possível “detonar” o adversário utilizando o poder combinado de vários personagens.

Uma das coisas que me marcaram muito ao jogar MVCII pela primeira vez foi a seleção de personagens obscuros de ambas as companhias. Para um gamer viciado em HQs, como eu era na época, foi quase um orgasmo poder jogar com personagens como Cable, Medula (Marrow) e Thanos, e melhor ainda, combiná-los com personagens da Capcom do naipe de Strider Hyriu, Megaman e a trupe de Street Figther.

A versão para iOS sofre muito na transcrição do jogo para o mundo das telas touch, mas se você for um gordo insistente como eu pega o jeito em dois tempos e depois disso meu amigo, se prepare para terminar o jogo dezenas de vezes até desbloquear os 56 personagens disponíveis. Sim, vc inicia o jogo com a possibilidade de seleção de apenas 24. Para habilitar os demais personagens, e também alguns cenários “secretos” (os mesmos cenários com outras cores) e papéis de parede vc precisa acumular pontos e depois ir na “lojinha” do jogo, mas até lá a diversão é garantida, especialmente se vc não conhece o jogo. As possibilidades de golpes e especiais são quase infinitas e mesmo com a defasagem dos gráficos (eles continuam no mesmo estilo animação 2D daquele época) as lutas são impacatantes e enchem os olhos.

O que faz esse jogo perder pontos no entanto é a diminuição da velocidade de animação. Para viabilizar a jogabilidade na tela touch-screen eles tiveram que deixar o jogo mais lento que o original, compreensível, mas faz desaparecer parte da graça das lutas ágeis e combos hiper-rápidos que caracterizaram a franquia. Outro ponto fraco aqui são os “botões”. A Capcom até criou um método simplificado de execução dos golpes utilizando apenas dois botões, mas o jogo só tem graça mesmo quando vc habilita os 6, o problema então é o de todo jogo adaptado de um console para iphone e similares, como vc perde a sensação tátil do botão, a precisão vai embora e muitas vezes o round também. Mas mesmo com todos os podres e o precinho de US$4.99 (sim a App Store Brazil ainda não vende seus produtos em Real :() pode comprar sem erro, garante algumas boas semaninhas de diversão.

#4 – Pitfall

Agora se vc não quer grandes compromissos nem gastar muito, tente Pitfall. Essa foi a grata surpresa que tive essa semana.

Não estou falando de um remake do Pitfall do Atari (na real, em certo ponto é sim) nem da versão 16 bits do Super Nintendo, mas de um jogo de ação e reflexos em trilho, lançado pela Activision em comemoração aos 30 anos do Pitfall original.

A grande surpresa é que o jogo faz uso dos recursos de jogabilidade do ipad com sucesso absoluto, é super descompromissado, bonito e absurdamente divertido. O jogo tem tudo pra garantir que ele fosse repetitivo e chato, mas a cada recomeço vc pode pegar um novo caminho, com novos obstáculos  tudo se renova. Obviamente, não espere por essa mesma sensação depois de 1 mês de jogo, mas pra um jogo rápido e casual ele acertaram em cheiro.

Agora o que realmente me impressionou foi a abordagem gráfica do game, toda 3D num estilo modernista, lembrando muito as animações da década de 60 e a trilha sonora orquestrada de alta qualidade que deu todo o clima de Indiana Jones em fuga que o game pedia. O precinho de US$0.99 ajuda na escolha também.

#3 – Sonic 4 Episode 2

Não tem jeito, os anos 80 e 90 me perseguem, mas aqui ao menos é uma versão nova do porco espinhudo e seu amigo Tails (eu sempre jurei que era uma raposa e não um raposa, mas enfim).

Os gráficos são muito bons, qualidade bem acima do episódio 1, mas seguindo o mesmo estilo clássico de jogo de plataforma 2D com modelagem em 3D, e o melhor, ao estilo de Sonic e Knucles, em que vc conectada um cartucho sobre o outro e liberava fases secretas, aqui o mesmo acontece quando vc já tem o episódio 1 e compra o 2. É possível, entre outras coisas, jogar com o Metal Sonic.

As possibilidades novas de jogabilidade como o spin do Sonic, ou ele atuando em dupla com a Tails e formando uma super roda animal hiper-veloz que quebra tudo o que vê pela frente são muito bem vindas no jogo e fica muito estranho voltar a jogar os games antigos da série depois disso. Você realmente sente falta dos comandos novos.

Diversão garantida aos saudosistas de plantão, por US$6,99. Caro? Nem tanto pelo capricho. É uma homenagem da Sega aos fãs do Porco…..Espinho.

#2 – Chaos Ring

Pra não dizer que o gordo só vive de passado, lhes indico aqui um belo RPG da Square Enix desenvolvido especialmente para IOS, mas depois com port para Android também. Saiu esse ano também uma seqüência do jogo tão fodástico quanto o primeiro.

A história foca em Ark Arena, um misterioso coliseu onde 4 pares de heróis são lançados para lutar pelas suas vidas, muitas vezes enfrentando uns aos outros na tentativa de escapar de lá. Obviamente, como todo bom RPG da Square Enix, cada personagem tem  a sua própria história, e em sua grande maioria, grandes histórias.

CR pode ser classificado como um RPG-Action, por que a ênfase na ação é grande. Toda vez que vc for para a Arena vc estará constantemente enfrentando monstros na tentativa de permanecer vivo. O sistema de combates é muito esperto e utiliza bem a interface do iphone/ipad. O enredo e desenvolvimento de personagens são excelentes e nem os puzzles chatos tiram a graça do game. A primeira versão sai por US$4.99 em promoção (US$15.99 preço oiginal) e se vc curtir, tá fodido, a segunda parte sai por US$19.99, mas vale a pena ou não estaria nesse lugar da lista.

#1 – Chrono Trigger

Chrono foi lançado para iPhone apenas, afinal os gráfico são os mesmos da versão 16 bits do Super NIntendo lançado em ….. e na tela de um iPad poderia perder mt do encanto sem uma recauchutagem HD. Mas Chrono é Chrono. Se não conhece, instale e jogue já. É o RPG que te faz gostar de RPG. Que te incita a aprender inglês. Que te estimula a saber quem são Akira Toryama e Yoshitaka Amano. Ao menos comigo, isso tudo aconteceu uahuahua

O jogo tem uma história super envolvente, os personagens de RPG mais carismáticos de todos os tempos e um trabalho de design 16 bits primoroso, fora a trilha sonora que não sairá de sua cabeça.

É o meu preferido. Esqueça as repetitivas fases bônus dessa versão e concentre-se no jogo original. É perfeito e diversão garantida.

Melhor RPG de todos os tempos, pronto, falei!!!

Aqui o Gordo se despede. Boa jogatina a todos que se aventurarem em algum desses games.