Top CnC – 15 Bandas de Rock Subestimadas

E tem banda de Rock subestimada? Tem sim senhor!

Depois do post mais polêmico de todos, TODOS falando sobre bandas superestimadas que fez o CNC perder mais de 50% de sua audiência regular (perdeu? clique AQUI), Balão ataca novamente, provando que ele não aé apenas mais um rancoroso, e que até conhece algumas bandas de rock / heavy metal que são SUBESTIMADAS.

O mesmo ‘disclaimer’ da vez passada ainda é válido: essa é a opinião  do autor e não necessariamente representa a opinião dos demais redatores do site. Essa lista não – repito NÃO – é uma lista de melhores bandas, e sim de bandas que em algum momento de (ou toda)  suas respectivas carreiras, foram SUBESTIMADAS pela crítica, fãs ou público em geral.

Ah, e vocês verão também que, após severas críticas à minha pessoa (e familiares até a nona geração) oriundas do post anterior, esse aqui tem muito, MAS MUITO mais conteúdo e embasamento ok? Então não me xinguem (muito).

E, pra finalizar, Red Hot Chilli Peppers, Rage Against the Machine, U2, Legião Urbana e Led Zeppelin continuam sendo pilhas fumegantes de bosta e quem não gostou, ‘vão se foderem-se’! =P

Boa leitura!

Banda formada no final da década de 60, e uma das precursoras do Hard Rock com um toque de progressivo. Está em atividade até hoje, mas nunca foi muito creditada como uma das primeiras bandas do movimento ‘Hardzera’ tal qual Led Zeppellin, AC/DC e afins, tampouco atingiu o mesmo sucesso comercial. Pena.

Discografia Recomendada: The Magician’s Birthday (1972), Demons & Wizards (1972).

Annihilator é uma banda de thrash metal canadense (puta que os pariu, como tem banda de thrash metal aqui!) que até fez relativo sucesso, afinal de contas, foi a banda de Heavy Metal canadense que mais vendeu discos na HISTÓRIA. Infelizmente, a maior parte dessas vendas não foi na pátria-mãe da banda.

Aliás, essas bandas de Heavy Metal da terra do Wolverine só se fodem hein? Vide o nosso primeiro lugar.

Discografia Recomendada: Alice in Hell (1989)

Sodom é considerada uma das bandas do ‘Big Three’ do chamado ‘Teutonic Thrash Metal’, junto com Destruction e Kreator. Aliás, todas as três eram dignas de menção nessa lista, já que o ‘Big Three’  injustamente nunca teve o mesmo sucesso comercial do primo rico, o ‘Big Four’. Afinal, em termos de qualidade sonora, os comedores de chucrute não devem em nada (NADA mesmo) aos Yankees.

Com um som pesado e extremamente elaborado (mesmo para padrões de thrash metal), com carisma e presença de palco fantásticos (estive no show deles recentemente, então sou suspeito para falar), Sodom merecia mais do que estar relegado apenas à pequenas casas de shows e participações secundárias em festivais.

Discografia Recomendada: Agent Orange (1989), Get What You Deserve (1994), M-16 (2001), Sodom (2006).

Saxon é um dos membros do movimento NWOBHM (New Wave of British Heavy Metal, que eu já fiz um top algum tempo atrás AQUI) que, mesmo sendo tecnicamente impecável, com riffs de guitarra únicos e empolgantes. Infelizmente, é pouco conhecida do grande público, ao contrário dos ‘primos ricos’ como Iron Maiden e Judas Priest.

Discografia Recomendada: Wheels of Steel (1980), Strong Arm of the Law (1980), Denim and Leather (1981)., Power & The Glory (1983), Crusader (1984), Call to Arms (2011).

Rainbow é a banda que Ritchie Blackmore fundou após a briguenta saída do Deep Purple. E o vocalista dessa banda era ninguem menos que o baixinho Ronnie James Dio. Só que lá pelas tantas, o senhor Blackmore se apaixonou e só queria escrever músicas de amor. Dio, o Deus Encarnado do Metal, não gostou da idéia, ele queria escrever sobre magia, dragões, sodomizar virgens… enfim, esses lances de Heavy Metal.

O resultado? Os dois tiveram um DR, que levou Dio a abandonar à banda e se juntar ao – tcharam! Black Sabbath (veja a seguir) e Ritchie contratou outro vocalista, Graham Bonnet, que ficou pouco mais de um ano e foi mandado emborar por apresentar-se encachaçado nos shows. Também pudera! O som do Rainbow havia sido totalmente desvirtuado em seu quarto álbum de estúdio: não era mais aquele rock progressivo de outrora, chegava até a flertar um pouco com música pop (fator que também levou o lendário bateirista Cozy Powell a sair da banda)!

Justamente por essa cagada de ‘quero ser uma bandinha pop’, Rainbow não havia até então feito sucesso comercial na terra do Hambúrguer (sim, os EUA). Os fãs da banda eram meio limitados à Europa e ao Japão. Mas, foi com a entrada de outro baixinho (sim, o Joe Lynn Turner do título acima) que a mesa virou. Joe trouxe de volta a veia rock’n roll da banda, e entoou músicas que viraram sucesso INSCRUSIVE nos EUA. Foi o caso de músicas como ‘Difficult to Cure’, ‘I surrender’, ‘Street of Dreams’ e ‘Death Alley Driver’.

Infelizmente, o Rainbow como nós conhecemos debandou em 1984, porque Ritchie Blackmore se apaixonou por uma loirona e resolveu pensar que estava na Idade Média. A partir daí, só quis tocar bandolins, alaúdes e afins.

A banda ensaiou uma reunião em 1995, com Doogie White nos vocais, e outra em 2009, com Joe Lynn Turner novamente nos vocais e o filho de Blackmore na guitarra, mas, infelizmente, nenhuma delas durou.

Discografia Recomendada: Difficult to Cure (1981), Straight Between the Eyes (1982), Bent Out of Shape (1983).

E lá vai mais uma banda que o Metallica plagiou na caruda e ainda levou os méritos. Outras bandas do movimento NWOBHM também sofreram o mesmo – e trágico – fim, como Blitzkrieg e Sweet Savage. Não vou entrar muito no mérito pois já fiz um Top CNC bandas de NWOBHM (Confiram AQUI), onde boto Metallica no seu devido lugar.

Discografia Recomendada: Lightning to the Nations (1980).

Outra banda estadunidense de thrash metal, que surpreendentemente não foi fodida ferrada por causa do Metallica, muito pelo contrário! O atual guitarrista do Metallica, o péssimo Kirk Hammet, era originalmente do Exodus! Ou seja, após sua saída a banda melhorou trocentas mil vezes!

Enfim, outro expoente da ‘thrashzeira’ que foi ofuscado pelo som pop e comercial do Metallica.. Com um som mais cru e visceral que os supracitados ‘Backstreet Boys’ do Thrash Metal, Exodus não é uma banda para os fracos. É material 100% ‘moshável’.

Discografia Recomendada: Bonded by Blood (1985), Tempo of the  Damned (2004).

Todos creditam Led Zeppelin, Black Sabbath e Deep Purple como ‘pais do Heavy Metal’. Mas teve uma banda, menos conhecida (e lembrada) que as demais, cuja sonoridade também foi fundamental para a criação do gênero favorito dos headbangers: é óbvio que estamos falando do Hanson Blue Cheer. (Duvida? Assista ‘Metal: A Headbangers Journey’, documentário de 2004).

Discografia Recomendada: Vincebus Eruptum (1968).

“Você quis dizer AC/DC 2.0?” – Google sobre Accept

É um quinteto de heavy metal alemão que obteve um relativo sucesso comercial no início da década de 80 com o seu maior hit ‘Balls to the Wall’. Na época, o Accept era liderado pelo Alemão cearense baixinho de cabeça chata Udo Dirkschneider. Anos mais tarde, Udo saiu da banda para seguir carreira solo. Após vários ‘hiatos’ da banda, ela retornou em 2009 com um novo frontman, Mark Tornillo.

Tornillo, com um timbre muito semelhante à Brian Johnson do AC/DC não apenas trouxe uma nova voz, mas uma nova sonoridade à banda. E, juntos, gravaram dois dos melhores álbuns de heavy metal dos últimos tempos (se não OS melhores): Blood of the Nations e Stalingrad.

Discografia Recomendada: Restless and Wild (1982), Balls to the Wall (1983), Blood of the Nations (2010), Stalingrad (2012).

Que os fãs do Iron Maiden são os mais chatos do UNIVERSO não é segredo pra ninguém. Agora, imaginem o que aconteceu quando Bruce Dickinson, cara que era endeusado quase como o Papa do Heavy Metal saiu da banda? Exatamente: ‘coitado do sucessor’.

E não deu outra. Quem foi feito de cristo foi o pobre Blaze Bayley, que entrou pra substituir Bruce. É óbvio que Blaze nem de longe tem a qualidade técnica, nem alcança os mesmos tons de Bruce, mas isso não faz dele um péssimo vocalista como a maioria dos fãs julgou, condenou e executou: ele é apenas… diferente.

Tanto que os dois álbuns do Maiden da era Blaze, se escutados sem preconceitos, são EXCELENTES álbuns. Sign of the Cross, Lord of the Flies e outras dão uma surra de pau mole na fase atual da Donzela, com Bruce de volta aos vocais.

Discografia Recomendada: The X-Factor (1995), Virtual XII (1998).

E, puxando o gancho, temos um bi-campeão! Assim como Ozzy foi duplamente superestimado, Blaze foi duplamente SUBESTIMADO. Após sua saída do Iron Maiden, Blaze engrenou numa fantástica carreira solo, com músicas fortes e marcamentes, como ‘The Launch’, ‘The Brave’ e ‘Born as a Stranger’, só pra citar algumas.

Infelizmente, a carreira solo do Blaze nunca deslanchou como poderia / deveria, em grande parte devido ao estigma de ‘ex-frontman fracassado do Iron Maiden’

Em carreira solo, arrisco dizer que o Blaze é muito mais Iron Maiden que o próprio Maiden, como já falei na resenha do show ano passado.

Discografia Recomendada: Silicon Messiah (2000), Tenth Dimension (2002), Blood & Belief (2004), The Man Who Would Not Die (2008), Promise and Terror (2010)

Em resposta ao que falei no post de bandas superestimadas, com Ozzy Osbourne sendo endeusado no Black Sabbath, os anos que sucederam a saída do Madman seguiram o caminho exatamente oposto. Justamente por esse overhype em cima de Osbourne, a fase do baixinho Dio (vocalista infinitamente superior) ficou extremamente chutada para escanteio, relegada à apreciação em nichos entre os mais iniciados (como eu). Já vi vários posers falando bem de Ozzy e mal de Dio sem nunca ter escutado absolutamente nada do baixola.

Novamente, não estou merecendo Black Sabbath com o Ozzy, afinal foi uma das (sim, ‘UMA DAS’ e não ‘A’) que levaram à criação do Heavy Metal, gênero musical pelo qual sou apaixonado. Mas é inegável que o baixinho trouxe novos ares à banda, com um som mais elaborado e sóbrio (tá, sóbrio nem tanto). Músicas como Heaven & Hell, Neon Knights, Children of the Sea, Mob Rules e Sign of the Southern Cross estão entre minhas favoritas.

Não é à toa que anos mais tarde o baixinho Dio se reuniu com os membros originais do Black Sabbath para reviver os sucessos dessa época, sob a alcunha de Heaven & Hell.

Discografia Recomendada: Heaven and Hell (1980), Mob Rules (1981), Dehumanizer (1992), The Devil You Know (2009)

Mais uma banda de NWOBHM no top (já repararam como tiveram várias?) Mas Angel Witch merece a medalha de bronze porque ela é tão subestimada que nem os próprios membros dela levavam fé. O frontman, Kevin Heybourne, é o único membro original e não consegue manter uma formação fixa da banda por mais de sei lá… 5 minutos? Duvida? Saca só então:

Formação atual:

Kevin Heybourne
Will Palmer
Andrew Prestidge
Bill Steer

Já etiveram na banda:

Rob Downing
Barry Clements
Steve Jones
Kevin Riddles
Dave Hogg
Dave Dufort
Ricky Bruce
Jerry Cunningham
Roger Marsden
Peter Gordelier
Dave Tattum
Spencer Hollman
Jon Torres
Grant Dennison
Tom Hunting
Doug Piercy
Lee Altus
Darren Minter
Chris Fullard
Myk Taylor
Richie Wicks
Scott Highham
Keith Herzberg
Clive Starr

[Fonte: Wikipedia]

Tão vendo só? Angel Witch tem mais ex-membros do que pessoas no esquema do Mensalão.

Discografia Recomendada: Angel Witch (1980), Screamin’n Bleeding (1985), As Above, So Below (2012).

Dave Mustaine foi chutado do Metallica para fundar uma outra banda muito melhor, o Megadeth. Inscrusive algumas músicas do Metallica foram chupinhadas de Mustaine e não vice-versa como a maioria das pessoas pensa (vide The Four Horsemen / Mechanix)… Afinal, chupinhar idéia dos outros sempre foi o ponto forte do Metallica.

Mesmo tendo uma sonoridade MUITO superior à James Hetfield & Cia., Megadeth sempre foi injustamente relegado à vice-liderança do Big Four.

Discografia Recomendada: Rust in Peace (1990), Countdown to Extinction (1992).

Anvil é Hors Concours quando o assunto são bandas subestimadas. E só assistir ao ótimo documentário ‘Anvil: The Story of Anvil’ (2008), pra ver como os caras se foderam. Os caras passaram de headliners do ‘Monsters of the Rock’ Festival de 1985 (junto com Scorpions, Bon Jovi, Whitesnake e outros) a uma banda completamente desconhecida, limitada a tocar em barecos locais.

E, pra piorar, os dois membros originais Steve ‘Lips’ Kudlow (Guitarra e vocais) e Robb Reiner (bateria) não conseguiam viver só dos lucros da banda, tendo que trabalhar em um buffet de refeitório e uma marcenaria, respectivamente.

Seria um fim de carreira triste para músicos que inspiraram toda uma geração de roqueiros. Felizmente, o o documentário retratando a luta do dia-a-dia da banda de uma maneira quase que tragicômica foi um estrondoso sucesso, e fez com que Anvil tivesse um tardio reconhecimento, e voltasse aos holofotes. Pra quem ainda não assistiu o filme, fica a dica! Extremamente recomendado, até para quem não é fã do genero. Ganhou até nota 8.0 lá nos metidos do IMDB!

Discografia Recomendada: Metal on Metal (1982), Juggernaut of Justice (2011).

É Wilson Aílson! Espero que vocês tenham gostado mais desse Top Bandas Subestimadas que o de Bandas Superestimadas (até porque é impossível gostar menos), e abro o espaço para discussão! Não concorda com algumas coisa que coloquei aí? Ou tem outras bandas que você também acha que foram subestimadas? Comenta aí cabeção! Confira na galeria abaixo as capas de álbuns mencionadas:

  • Isler

    Faltou falar do chimbinha…

    • huahahuauha! Chimbinha não é subestimado, Chimbinha é REI! \o/

      • Lucas

        Quero uma lista de bandas brasileiras subestimadas

        • Fala Lucas! Boa! Tá anotada a sugestão! Em breve farei um top bandas nacionais subestimadas!

          Um abraço!

  • An0m

    Bom post.
    Não vou argumentar sobre as bandas, até por que eu gosto bastantes das que foram citadas e concordo que são subestimadas, pois afinal, estamos em um mundo onde "publicamente" (falo do público, platéia …) é dominado pelos posers, mas mesmo assim temos fortes pilares na musica que livraram-se dessa praga kkkk
    A única que vou falar é sobre RAINBOW! Pô os caras foram estimulados totalmente corretos pela inciativa genial do Blackmore de fazer uma mistura entre a música erudita (e temas da idade média) e o heavy metal, além dele também ter escolhido grandes músicos, pois todos na banda foram grandiosamente bens (bem, isso até a saída de Dio, e posteriormente, a entrada do Joe)… a única coisa que discordo de seu ponto de vista é sobre as letras de amor do Blackmore terem agido de forma negativa na "era Dio", pois temos um grande título das "românticas" do Rainbow que sinceramente é 'perfeita', e ela é "Rainbow eyes".

    Enfim, concordo com os títulos que foram apresentados no post.

    Obs.: Realmente o Dio é infinitamente mais qualificado vocalmente que o Ozzy, mas nem sempre a técnica é o melhor, o que nesse caso empata (pra mim),qualificando ambos como DEUSES 😉

  • Anão

    Po ótima lista, muito informativa mas…. Você só conhece metal?
    Se vai colocar como nome do post "…bandas de ROCK…" deveria dar uma variada no estilo.
    Ou então muda para "…bandas de METAL…"

    • Fala Anão! Cara, nas palavras do sábio Lemmy Kilminster, não existe Heavy Metal / Thrash Metal / Hard Rock / etc… é tudo rock’n roll… e rock’n roll é aquela música que te deixa com 3m de altura e capaz de fazer tudo. E assino embaixo!

      Tudo bem, o ‘metal’ realmente é uma preferência pessoal, mas dizer que coloquei SÓ metal é uma baita injustiça… tem ali Uriah Heep, Rainbow e Blue Cheer para provar o contrário! Outro motivo pela lista ter bandas predominantemente de Heavy Metal é justamente essa marginalização e preconceito que o gênero sofre, então acabei identificando uma parcela maior de bandas de Metal injustiçadas ao longo dos anos do que de Rock clássico, ou de um Hard Rock, por exemplo!

      Um abraço!

  • Leonardo

    KKKK.Não tem Breaking Benjamin,ótima banda de rock alternativo,"auge"no país de origem recentemente,e não foi citada.

  • Caio

    Boa lista, amo sababth com dio por um motivo especial, o Sabbath se tornou em essência aquilo que criou: O Heavy Metal, distante se deu DNA blues, como se abandonasse suas raízes por completo, sem deixar vestígios para ser aquilo que criou… E fizeram isso com o vocalista que moldou o heavy metal: O grande DIO!

    Um que sempre considerei subestimado foi ELP, em minha opinião, o "virtuosismo" que a critica tanto ataca ofuscou uma banda realmente talentosa, criativa e vanguardista.

    • Caio

      E sinceramente..

      Megadeth é melhor que metalica. Tem muito mais albuns bons que o metalica

      • Sim, também acho Megadeth muito melhor que Metallica, e também eles se mantiveram fiéis às raizes do Thrash, diferente do Metallica que se prostitui com o Black Album e se tornou pop e comercial!

        Abs!

        • Aleff

          Cara, desculpa, mas a maioria das bandas citadas por você, são muito reconhecidas, podem não ser muito populares aqui no Brasil, isso não significa que sejam subestimadas.
          Sabbath com Dio?! sendo que Mob Rules e Heaven & Hell são albuns muito, muitíssimo reconhecidos, a apreciados por quem curte, nem de longe são subestimados. Poderia ter dito Sabbath com o Ian, no qual gravaram o album Born Again, uma obra-prima.
          Saxon? kkk, Saxon é uma das mais reconhecidas, populares, e influentes dentro do NWOBHM
          Annihilator também não é subestimada, é uma das mais populares e influentes do Thrash também, como assim subestimada? eu não sei qual é o seu conceito para definir algo como subestimado, mas, todas essas bandas que você citou foram com as quais eu dei de cara quando eu resolvi conhecer o Metal, e são muito reconhecidas dentro do mesmo.

          agora essa não deu pra aguentar….Megadeth?!, Megadeth está no Big four do Thrash Metal, é SUPERESTIMADA, e não subestimada. Riffs repetitivos, vocais extremamente chatos, letras simplórias. É apenas mais uma banda de Thrash metal, não sei de que lugar você tirou que ela é SUBESTIMADA, nem merecia estar no Big4 (aliás, o big4 é só uma coisinha comercial, não é algo para se vangloriar).
          Poderia ter colocado Testament no lugar do Megadeth, uma banda muito superior, digna de estar no big four, mas não está.
          Bom, não sei qual o seu conceito para subestimado, se subestimado significa não ser popular e nem comercial, vc pode estar certo.
          Mas o meu conceito de subestimado seria, "Bandas que não recebem o devido reconhecimento que merecem". Esse não é o caso das citadas por você. minha visão de RECONHECIMENTO, não é ter menininhas usando camiseta dessas bandas no shopping, mas sim, serem respeitadas e influentes dentro do Metal, e é isso que todas as bandas citadas por você, são. Minha opinião.

    • Caio, eu não teria dito melhor: Black Sabbath com Dio virou puro Heavy Metal. A primeira formação da banda lógico que tem seus méritos, afinal, eles definiram o gênero. Mas quem é intransigente o suficiente pra achar que Black Sabbath é só com o Ozzy, não sabe o que está perdendo!

      abs!

      • Caio

        Aleff, não falo dentro do publico, falo fora dela, por exemplo, muitos respeitam ramones e beatles sem conhecer a banda, ou michael jackson, o lou que morreu recentemente o que mais vi a galera comentando era “não gostava do som dele, mas respeito o legado foi importante, etc..” Tinha um cara que morava comigo, ouvia sertanejo e falava, “Metallica é muito bom neh?” Sem conhecer nada do mundo do “rock”.

        Isso eu NÃO VEJO com Megadeth, Sabbath com Dio e ELP ah não ser se for no meio do heavy metal.

        Claro, todas as fazes do Sabbath são de uma característica impar, só não gosto muito de tony martin quanto as outras fases, e acho a do Born Again tbm subestimada, É UM PUTA ALBUM!!!

        O problema é que a mídia tornou-se opinião dos roqueiros de all star, então uma “verdade” dita por ela, é assimilada e espalhada acriticamente, e vimos como ela é ridicula, é só pegar uma lista da rolling stones ou nme… Ou gente que acha que só teve o Nevermind de album bom nos anos 90..

  • Carlera

    Em todo post o cara dá uma haterizada no Metallica, caralho, deve ser pq NENHUMA das citadas chegam ao mesmo nível (maybe, Black Sabbath com DIO)

  • Carlera

    “hrrr drrr raizes thrash metal metallica se vendeu drr” Metallica chutou bundas em todos os seus álbuns se reinventando e arriscando, ao contrário da maioria das citadas.

  • Fernando Faria

    Gostei da matéria, nem sei se vão ler depois de quase cinco anos de publicação da mesma. Mas vamos ao comentário, outra banda que poderia estar na lista vem da terra da grunge e se chama Nevermore, composta pelos ex-membros da extinta banda Sanctuary (o vocalista Warrel Dane e o baixista Jim Sheppard), o exímio guitarrista Jeff Loomis (que era cotado para entrar no Megadeth aos 18 anos em 1989, com as concorrências de peso de Marty Friedman e Dimebag Darrel – na época Diamond – R.I.P), teve em seu ponto alto o disco Dead Heart in a Dead World. A banda, que executava elementos do thrash metal, groove metal, prog metal, power metal, etc., criou uma sonoridade única dentro do metal. O grupo encerrou suas atividades em 2011.

  • Eduardo Osbourne

    Blue Oyster Cult , a banda mais subestimada da história!