Especial de Rélowin! – Parte 1

Já que é Rélowin decidi fazer dois post sobre filmes de terror que estão em cartaz nos cinemas essa semana.

Começo com a decepção. Sim, antes que você me julgue, eu achei que a franquia Atividade Paranormal tem melhorado com o tempo. Mas só que o quarto filme fez a coisa desandar…

Será Atividade Paranormal o novo Jogos Mortais?! Ou seja, vamos assistir pelo menos uns 7 filmes até que tudo finalmente se explique!?

Na verdade, eu acho que no terceiro filme da franquia ficou bem explicado todo o mistério por trás da entidade que abduz criancinhas e toma conta de mulheres sinistras que entram na casa das pessoas como um lince.

Enfim, vamos parar de achismos e vamos falar sobre o filme. Agora em Atividade Paranormal 4 chegamos aos dias atuais, na verdade é 2011, Katie, a personagem do primeiro filme está morando na casa de sua avó, que é revelada no terceiro filme da franquia. O que não fica claro é o seguinte: No final do segundo filme vimos Katie roubando Hunter, seu sobrinho depois de matar toda a família de sua irmã. Mas isso não fica muito claro no quarto filme, já que ela aparece com outra criança e durante o filme você começa a suspeitar que talvez o garotinho não seja Hunter. Enfim, vou evitar o spoiler, mas acho que eles forçaram feio um mistério que não faz muito sentido.

O filme continua na mesma estética de câmeras espalhadas pela casa e tudo é registrado conforme acontece [a cada filme eles inventam uma desculpa mirabolante para explicar o porquê e como as pessoas estão filmando]. Com essa escolha estética, eles perdem algo fundamental na arte de dar sustos no cinema, que é a trilha sonora. Sim, se você prestar atenção vai perceber que a porra da filha da puta da trilha combinada com a imagem te dá mais susto do que apenas a imagem. [Isso me faz lembrar a cena de Sinais em que o ET aparece em terras brasileiras, aquela cena sem a trilha sonora não teria o mesmo efeito]

O filme mantem a tensão original, e a todo o momento você fica se preparando para um susto que não acontece, o que é interessante nesse gênero mockumentary de terror. No que ele peca é na história, que poderia ter parado no terceiro filme e ter fechado uma trilogia coerente. Uma boa razão para ver o filme é para aprender um truque bem legal do Kinect com a câmera, mas eu ainda não fiz porque vai que eu descubro um encosto no meu apartamento!? Mas mesmo assim, se você não tem outro filme para ver nos cinemas, pode conferir, mas sem pretensões. E adivinha, já foi confirmado o quinto filme para o Halloween do ano que vem, mas isso se o mundo não acabar…

  • Vishhhh… no trailer parecia tão bom!!!

    • Fatso

      Pois é, parecia mesmo, mas o terceiro continua sendo o melhor.