CNC na Comic Con, a Experience do Gordo! Dia #1

Esse ano o Cocô na Cuia resolveu utilizar suas divisas geradas pelo Google Ads nos últimos três anos para bancar a minha viagem para São Paulo para cobrir a segunda Comic-Con Experience, o maior evento de cultura pop do Brasil. Como 27 centavos de real não cobre nem o meu tempo para escrever esse último parágrafo, acabei bancando eu mesmo essa viagem e me afundando em mais dívidas :3 Quanto à nossa cobertura do evento, também ficamos devendo, afinal de contas o Gordo é só um e as filas eram longas, muito longas… e suadas.

DSC_0565
Meu cabelo estava mais ou menos assim depois do suador…

Já tive a oportunidade de comparecer a duas grandes Comic-Cons norte-americanas, a WonderCon, então em San Francisco no ano de 2011 e a mais que famosa San Diego Comic-Con em 2013. Também fui participante assíduo das 3 edições ds Gibicon na nossa querida Curitiba e posso afirmar que em termos de tamanho e organização a CCXP não fica devendo em muita coisa à suas contra-partes estrangeiras e obviamente traz uma escala até então inédita nesse tipo de evento para o nosso país, indo muito além de tudo que Gibicon, FIQ e outros eventos relacionados a quadrinhos e cultura pop já tentaram por aqui.

Até o Bátema estava lá. Em todo canto, na verdade....
Até o Bátema estava lá. Em todo canto, na verdade….

O Omelete e seus parceiros estão mais do que de parabéns pelo empreendimento, valente e pioneiro. Potencial para um mercado voltado à cultura pop sempre existiu no Brasil, mas é devido às diversas ações de caras como eles e, claro, pelo momento de massificação de temas voltados anteriormente aos guetos nerds mundo afora, que o fluxo de novidades, produtos e produção se intensificou a ponto de se materializar em um acontecimento dessa proporção.

É bonito de ver também, que apesar do foco internacional a CCXP vem tentando ampliar seu escopo, abrindo vaga para produções brasileiras de qualidade, não apenas no âmbito dos quadrinhos mas também na área audio-visual. As produções gringas ainda são dominantes, e provavelmente serão por muito tempo ainda, mas é notável a quantidade de quadrinistas brasileiros expondo trabalhos autorais ou de encomenda, não focados no mercado norte-americano mas em seus leitores tupiniquins, que não se fizeram de rogados e lotaram a Ala dos Artistas.

Star Wars dividiu com os heróis da DC a maior parte dos holofotes. De babar essa escultura do Boba Fett. Se você reparar naquele líquido viscoso em cima do capacete verás que eu babei, de fato...
Star Wars dividiu com os heróis da DC a maior parte dos holofotes. De babar essa escultura do Boba Fett. Se você reparar naquele líquido viscoso em cima do capacete verás que eu babei, de fato…

Me impressionou positivamente também a abertura do evento para produções de nossa TV aberta, TV sim de muita qualidade apesar do preconceito vigente e a participação, ainda que tímida, promete ser emblemática ao trazer aos palcos dos salões de evento do São Paulo Expo Center a futura série de ação da TV Globo, Supermax, que aliás deve ganhar uma adaptação em quadrinhos concomitantemente, além de um especial da TV Pirata com a promessa de Ney Latorraca nos palcos e uma conversa sensacional com o grande Jorge Furtado. Mais detalhes em nossos próximo posts.

Jorge Furtado, roteirista e diretor de "Doce de Mãe", "Mister Braun" e outros... Melhor "experience" até o momento...
Jorge Furtado, roteirista e diretor de “Doce de Mãe”, “Mister Brau” e outros… Melhor “experience” até o momento…

A frustração também é parte integrante, mais vezes do que deveria ser, de um evento com esse. Por problemas de logística fui impedido de participar de várias das palestras que tinha planejado, inclusive uma master class com Mark Waid, o gênio por trás de O Reino do Amanhã e Demolidor e a apresentação da Sony assim como todas as demais de sábado na sala Cinemark, o maior salão desse evento, cujas filas quilométricas e o limitado espaço perante a alucinante demanda acabam por decepcionar os milhares de participantes que foram atraídos a esse evento por propagandas de atrações que só participariam de apresentações nesse espaço.

A CCXP do ano passado já havia servido como termômetro para o espaço necessário, portanto foi uma pisada de bola não haver mais lugares disponíveis ou mesmo re-distribuição de algumas dessas presenças por outras salas. Dinheiro eu garanto que não faltou, especialmente considerando os preços altíssimos praticados nessa edição, em todas as instâncias. É um absurdo por exemplo, presenciar uma fila longa na sala Cinemark para as pessoas que compraram o pacote Full Experience, no valor de seis mil reais e ela aconteceu hoje em dois diferentes momentos presenciados por mim.

DSC_0452

Outro ponto negativo causado pelo lado comercial foi o excesso praticado nos preços dos aluguéis de espaços para os artistas e comerciantes de memorabilia e afins. Não foram um nem dois os stands onde os preços praticados in loco eram muito maiores que o dos produtos anunciados nos sites.

O site do Omelete está aí para cobrir todos os detalhes do evento, portanto óbvio que nem tentaremos ou proporemos tentar fazer algo semelhante, mas pode ter certeza que voltando aqui no CnC você poderá ter uma visão adicional e alternativa de algumas atrações do ponto de vista desse nerd Gordo que ama muito tudo isso.

Os heróis da DC na TV reunidos...
Todos os heróis da DC na TV reunidos…

Para começar, bora curtir uma galeria de mais algumas fotos tiradas por mim mesmo para ter um gostinho das coisinhas deliciosas que estão pintando por aqui, mas não sem antes assistir a esse espetáculo dos infernos promovidos pela 20h Century Fox…

Agora deixe ele tocar até o final enquanto você dá uma olhada nas fotos. Não desligue!