O Tigre e o Dragão 2 – Donos de cinema “uberizam” pra cima da Netflix

tigre-e-o-dragao-cinema-netflix_chamada

Pra quem não sabe, a seqüência de “O Tigre e o Dragão”, clássico moderno dos filmes de kung-fu (que ganhou inclusive Oscar de Melhor Filme Estrangeiro em 2001), foi produzida pela Netflix, com o título “O Tigre e o Dragão: A Lenda Verde”. Em uma iniciativa inédita, a empresa resolveu lançar o filme simultaneamente nos cinemas e na sua plataforma de streaming.

Mas nem tudo são flores, o filme está sofrendo um boicote das redes de cinema dos Estados Unidos justamente devido à este lançamento simultâneo.

A Regal, uma das maiores redes de cinema dos Estados Unidos, lançou um comunicado explicando o motivo da boicote, dizendo que a atitude do Netflix acaba com a experiência de ver filmes em maior qualidade no cinema e mimimimi:

“Nós não vamos participar de um experimento onde você pode ver o mesmo produto das telonas sendo exibido em uma tela de três polegadas de um smartphone. Nós acreditamos que a escolha para ter uma melhor experiência com o filme está clara” – Regal, maior rede de cinema dos EUA.

Segundo Patrick Corcoran, porta-voz da Associação Nacional dos Proprietários de Cinemas dos EUA, a decisão da empresa seroa egoísta e prejudica o jeito que os clientes consomem a mídia. “O comprometimento da Netflix com a escolha do consumidor se limita àquilo que beneficia a Netflix”.

Hmmmmm… “a escolha para ter uma melhor experiência com o filme está clara”? Então por que da preocupação? Os cinemas não se garantem? Isso está me cheirando a uma disputa parecida com Uber vs. Taxis. Convenhamos, cinemas estão por aí desde o início do século XX, sem nunca ter nenhum tipo de concorrência direta. É claro que eles iriam tratar qualquer evolução como uma ameaça direta.

Já para a Netflix, o método de lançar o filme simultaneamente na internet e cinema dá mais liberdade ao consumidor escolher como e onde pretende ver. Segundo a empresa esta escolha seria o futuro da distribuição de filmes.

Esta não é a primeira vez que a discussão acontece: no ano passado, as redes de cinema norte-americanas boicotaram “Beasts of no Nation”, primeiro filme original do Netflix. Os motivos para a decisão eram basicamente os mesmos, onde os donos de cinema alegavam que o filme prejudicava os negócios. A-ha! Então eles REALMENTE estão com medinho. Aceita que dói menos, kiridinha.

Particularmente, acho que um não concorre com o outro e a preocupação dos cinemas é infundada. Eu jamais deixaria de ir ao cinema pra assistir um filme que quero muito só porque ele já está disponível em uma plataforma de streaming. São duas experiências completamente diferentes. Enfim…

“O Tigre e o Dragão: A Destino Verde” já está disponível na Netflix.